Dia Sem Carro. E daí (de novo)?

Minha coluna aqui está completando um ano e quero agradecer pelo espaço. Escrevo há quase dez anos, mas meu público sempre foi a turma das bikes. No Destak, tive a oportunidade de interagir com pessoas de todos os tipos, trazendo novas expectativas e mostrando o ponto de vista da galera que está fora desse nosso mundinho. Isso me ajudou muito; por isso, muito obrigado por esta maravilhosa oportunidade.

Mas quero falar sobre mais um Dia Mundial Sem Carro (DMSC), que ocorre no 22 de setembro. Aliás para que um DMSC? Segundo a pesquisa Origem e Destino, do Metrô, apenas 50% das famílias possuem carro. Sabendo que nem todos de uma família usam carro, podemos dizer que apenas cerca de 30% da população usa carros todos os dias. Portanto, o DMSC só existe porque essa minoria causa um transtorno enorme a todo o resto da população.

No Desafio Intermodal de São Paulo, realizado na última quinta, o carro foi mais lento do que moto, bicicleta, patins, skate e até do que uma pessoa correndo, sendo apenas mais rápido que o transporte público. Ou seja, além de ser responsável por 90% da poluição da cidade, o carro também atrapalha a vida da maioria da população, que depende do transporte público e para quem o DMSC é todos os dias.

O DMSC serve para tentar sensibilizar essa minoria que tanto impacta a vida de todos os moradores da cidade, mostrando o quanto somos dependentes do carro e o quanto essa dependência é exagerada. O DMSC serve para abrir os olhos dos motoristas que ficam felizes com o anúncio de tantas obras viárias sem se preocupar com o fato de que nem um décimo desse valor será investido em transporte público ou calçadas (nem falo de ciclovias).

Portanto, fica a dica: amanhã, prefeito Gilberto Kassab, em vez de ir de ônibus dos Jardins até a prefeitura, faça uma caminhada da sua casa até o Jockey Club. Veja a aventura que será atravessar a ponte Cidade Jardim e sinta na pele o quanto é ruim viver numa cidade que foi planejada pensando apenas em quem tem carro.

E você, leitor motorista, por que não aderir? Da mesma maneira que eu passei a prestar mais atenção em quem está fora do nosso mundo, experimente sentir o que sentimos todos os dias. Quem sabe você não mudará a forma de enxergar sua cidade? Pense nisso e feliz Dia Mundial Sem Carro para nós.

Todas as terças escrevo para o Jornal Destak de São Paulo, na coluna “Seu Destak”. Clique e veja a coluna no site do Jornal.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: