Mensagem de pai para filho

Mais uma vez fujo do assunto bike e continuo usando esse blog como o meu espaço, onde eu escrevo meus pensamentos, algo que fiz diversas vezes, principalmente enquanto realizava a viagem do Projeto Biomas. Agora quero dar um recado ao meu filho, mas serve também para todas as pessoas que, infelizmente, ainda não tem a menor noção do que é ser pai.

Na natureza é assim, a preocupação do macho é espalhar seus genes pelo maior número de fêmeas possível. Já a fêmea, em geral, busca um macho que possa lhe dar segurança e uma prole saudável. Infelizmente esses instintos falam mais forte na grande maioria dos humanos (homens e mulheres), por isso inventaram essa máxima de que a mãe é tudo, uma pessoa indispensável, deixando o papel do pai como algo secundário e irrelevante. A mãe tem seu papel, mas achar que ela se basta é a maior “tiro no pé” que uma mãe pode cometer.

Soma-se isso a irresponsabilidade (as vezes por necessidade) de muitos pais que abandonam seus filhos para viver sua vida, ou mesmo aqueles que abandonam a família sem sair de casa. A preocupação de levar conforto a família é tão grande que muitos esquecem do quão é importante gastar aquele precioso tempo com nossos filhos. Pior é que a grande maioria dos homens cometem os mesmos erros que seus pais cometeram, erros que tanto condenaram quando crianças. Dar carinho, atenção, educar vivenciando e conhecendo nossos filhos é muito mais importante do que a gana de buscar o máximo de conforto para eles. Será que eles precisam assim de tanto conforto? Nós tivemos todo esse mesmo conforto? Será que a falta desse relativo conforto não nos fez a pessoa que somos hoje?

Infelizmente muitas mães se aproveitam dessa enganosa máxima de que são o centro do universo dos nossos filhos e da fraqueza da maioria dos homens, para cometerem essas atrocidades. Se dizem auto-suficientes, enxergam o pai como um inimigo e fazem de tudo para afastá-lo da vida dos seus filhos. Deixam de enxergar um pai e passam a ver um concorrente, ficam cegas por causa desse sentimento novo (que é o amor incondicional que temos por um filho) e destroem um casamento por causa dessa cegueira imbecil, achando que terão os filhos para sempre, sob suas asas. Além de serem tolas e egoístas, não tem a menor noção do mal que fazem para nossos filhos. A cegueira é tanta que a maioria delas coloca a vontade de punir o pai acima da dor que seu filho está sentindo, nessas horas até  questiono se é realmente “amor” o que elas dizem sentir por eles.

Eu não apenas quis ser pai, mas sempre sonhei em ser pai. Tive um pai ausente, desses que sentia ausente mesmo o vendo todos os dias. No meu caso a culpa não foi da minha mãe, ela nada fez para afastá-lo de mim, a responsabilidade foi toda dele. Não quero aqui culpar meu pai, infelizmente ele não é uma pessoa com sensibilidade suficiente para perceber o que seus filhos queriam ou sentiam, aliás esse é o mal da maioria das pessoas, a dificuldade em compreender o sentimento dos seus filhos, melhor, a dificuldade de simplesmente compreender nossos filhos. Foram tantos problemas em sua vida, muitos devido a sua criação, que chega a ser covardia culpá-lo pelo meu sofrimento quando criança, adolescente e até agora na vida adulta.

Mas eu sempre fui uma pessoa observadora. Ao invés de guardar rancor pensava no que fazer para não cometer os mesmos erros com meu filho. E comigo foi assim, antes mesmo do meu filho nascer já planejava meu comportamento, como ser aquele super-herói que  eu tanto esperei do meu pai (que em vários momentos ele foi), como me comportar para criar um vínculo indestrutível, para que mesmo quando o destino nos separar, ele continuasse me admirando, tendo orgulho de mim, que eu sempre fosse uma referência para ele. Uma das coisas que sempre senti falta foi do contato físico do meu pai, então jamais iria deixar de realizar demonstrações de carinho com meu filho.

Ele nasceu e minha vida mudou completamente. Todos os sentimentos que eu já tive em minha vida ficaram pequenos perto do que senti ao ver meu filho nascer. Lembro de que ele foi para o berçário e lá fui eu esperar, do outro lado da janela, para poder registrar seu primeiro banho. Lá se foi um bebe, depois outro, depois outro…

Todos haviam tomado banho menos o meu, então perguntei para a enfermeira o porquê da demora, ela venho até o lado de fora e disse:

“Ele está respirando com certa dificuldade, vou esperar ele chorar um pouco para limpar o pulmãozinho e depois dou banho. Melhor esperar lá no quarto que eu te chamo quando ele estiver pronto”

O que? Eu sair de lá? Nem em sonho! Fiquei encostado como um vegetal, com a cara colado no vidro, sem conseguir virar o rosto de forma que ele saísse do meu campo de visão. Nem percebi que fiquei na mesma posição por uma hora. Pela primeira vez em minha vida eu senti medo de verdade. A possibilidade de perder meu filho, dele ter algum problema, alguma dificuldade, a imobilidade que sentia pois não havia nada que eu pudesse fazer para salvá-lo me aterrorizava. Lá ficamos nós, nos encarando e fortalecendo um aquele vínculo que já havia nascido quando ele ainda tinha menos de 2 mm e eu ouvia seu coraçãozinho bater a mais de 200 bpm.

O tempo foi passando quando, de repente, ele começa a chorar. Eu também chorei, aliás continuo chorando sempre que relembro aquela cena, aquele alívio de vê-lo lutando para descongestionar seu pulmãozinho, de vê-lo vencendo sua primeira batalha, nasceu um guerreiro…

Logo depois lá estava ele tomando seu primeiro banho e eu feliz, vendo meu guerreiro do outro lado do vidro, observando a única coisa na face dessa terra que me traz alegria de viver, aquela coisinha maravilhosa que faz a vida ter algum significado.

Sou filho e sei o papel que cada um tem em nossas vidas, nunca tive a pretensão de ser mais importante que a mãe, seria idiota em pensar assim. Cada um tem seu papel e jamais um irá substituir o outro. Mas sempre tive a preocupação de ser o pai que eu sempre quis ter. Nunca bati em meu filho e nunca irei bater, mas isso não quer dizer que não o ensinarei a respeitar as pessoas, principalmente seus pais. Como qualquer criança ele já me testou, tentou me enfrentar, mas eu segui minha filosofia a risca, agindo sempre com razão, aliás ele é a única pessoa que faz eu agir sempre com razão ante a emoção.

Sempre tive muito mais medo do meu pai do que respeito ou orgulho. Não queria isso para mim. Portanto adotei uma filosofia, um modo de educar meu filho de maneira que ele jamais queira me decepcionar e isso tem funcionado até então. Certo dia, minha mãe dava bronca em minha sobrinha, pedindo para ela guardar seus brinquedos, mas minha sobrinha não dava a mínima para sua avó. Foi quando meu filho intercedeu:

“Vó, faz que nem meu pai, olha feio para ela (franzindo a testa) que ela vai te obedecer…”

A minha felicidade é que, apesar ser forçado a ficar longe dele, de ter realizado aquela torturante viagem, nosso vínculo ainda está muito forte. Apesar dele ser pequeno, de tentarem enrolar meu filho quando ele demonstra minha falta, sei que eles terão uma tarefa muito difícil.

Mas preciso demais do meu filho e tenho certeza que ele também precisa de mim. Apesar do medo de que ele um dia pense que tentei abandoná-lo, confio na sua inteligência. Logo a idade irá chegar, uma melhor compreensão do mundo e das pessoas que o rodeiam chegará também, pois é difícil apagar a verdade. Ele irá perceber que, infelizmente, algumas pessoas que ele pensava querer o seu bem, não passam de pessoas fracas e egoístas, que ao invés de pensar nele, preferiram fazê-lo sofrer me tratando como um inimigo, lutando para tentar me apagar de sua vida, gastaram muita energia tentando destruir nosso vínculo. Tolos…

Eu luto contra tudo, me dôo, me entrego e mesmo com tudo conspirando contra, mesmo com a depressão querendo me dominar, mesmo com os súbitos desejos de dar fim a essa dor, meu filho sempre será minha âncora, meu norte. Diferente de muitas mães estúpidas, que tem a falsa pretensão de que terão seus filhos eternamente sob suas asas, sei exatamente qual meu papel em sua vida. Irei fazer o possível para prepará-lo para a vida, para ser uma pessoa boa, justa e pronta para os desafios que encontrará, ainda mais envolto nesse universo, onde ele irá descobrir que há ao seu redor diversos lobos vestindo peles de cordeiro.

Infelizmente ele terá uma vida muito dura, sofrerá para encontrar as respostas, mas as encontrará. Mesmo longe lutarei para transformá-lo num homem bom e preparado para fazer a diferença, que possa seguir seu rumo, lembrando da minha imagem, das minhas mensagens, enquanto estiver trilhando sua vida nesse planeta.

Filho, nunca te abandonei. Seu pai teve seus motivos para se afastar e não foi culpa sua, acredite sempre nisso. Se houve algum culpado foram algumas pessoas que, de forma desequilibrada, acharam que você era propriedade deles e de maneira covarde, utilizando a sua inocência, tentaram me afastar de você, chegando ao cúmulo de desejar a morte do seu pai só para você ser apenas “delas”.

Ninguém é dono de você, ninguém tem o direito te privar do contato das pessoas que você ama. Hoje você é muito novinho para entender essa mensagem, mas um dia você terá maturidade para compreender exatamente tudo que ocorreu ao seu redor. As mascaras cairão, você terá a inteligência e sabedoria para tirar suas próprias conclusões. Não só desejo como lutarei para um futuro onde não exista mais nenhuma barreira entre nós. NINGUÉM irá me substituir, idiotas aqueles que acham que isso pode acontecer.

Só peço desculpas por ter feito você sofrer com minha ausência e com toda essa situação. Mas o futuro também lhe mostrará que fiz tudo que estava ao meu alcance para poder evitar essa sua dor. Acredito muito nesse sentimento, nessa nossa ligação e confio no seu julgamento. Serei sempre aquele pai que canta para “meu anjo que venho do céu”, que tenta te levar paz, que quer estar ao seu lado nos piores momentos. Você saberá que sou a única pessoa que você poderá recorrer na certeza de ser compreendido, na certeza de ter a melhor orientação.

Tenho certeza que você irá me perdoar, que compreenderá todas as besteiras que cometi. A única pessoa nessa vida que irei batalhar pelo seu perdão é você. O resto… Que se exploda.

Sei que você irá lutar por nós da mesma maneira que eu luto por você. Hoje nossas armas são fracas, mas não imagina como fico forte ao ouvir seus apelos para me ver, isso só me fortalece para as batalhas que estão por vir. Te amo meu bebê, nossa luta para ficarmos juntos não termina aqui. Tenho certeza que ninguém irá conseguir me tirar do seu coração, nem que o desejo dessas pessoas (de me ver em outro plano) se realize, sei que não existe nada na face da terra com força para destruir nossa história, nossa ligação, nosso vínculo, nosso amor.

13 comentários

  1. Cara, voce é e sempre será um orgulho na vida de seu filho.
    O que tenho a te dizer é o seguinte: ESPERA NO SENHOR E ELE TUDO FARÁ.
    Boa sorte pra voce e seu filho.

  2. Show de bola André..
    Filho será sempre filho, ligação eterna, está certíssimo em querer ter ao seu lado o seu maior tesouro!! Amei seu texto!!
    Boa sorte!!

  3. Caro, André!
    É realmente muito fácil achar tudo lindo e maravilhoso depois q a mãe de seu filho, provavelmente com muita força de vontade e amor e, pelo que percebi, sem o seu apoio, colocou no mundo essa linda criança. Agora você está bancando o herói e o sensível da história, e pedindo perdão das besteiras que você diz ter feito para ele. Mas será que em algum momento você já foi homem suficiente para encarar de frente seus erros e admitir a mágoa que causou em uma MÃE que carregava no ventre o filho que vc diz tanto amar?? Será que percebe que em nome da TUA felicidade fez um inocente sofrer (pq eles sentem tudo ainda na barriga) e agora quer reverter toda essa história acusando a MÃE dele d querer afastá-lo de você?? Eu tenho certeza de q se ela faz realmente isso, está mais do que certa, pq AMOR DE VERDADE renuncia a TUDO em prol do bem comum e pelo jeito você não teve esta capacidade. Amar mesmo, é sofrer e lutar pela felicidade do ser amado acima de qlqr circunstância! Me desculpe, mas vejo que você é mais um daqueles homens que se comportam com a maior crueldade do mundo, se afastam de uma família em nome de “viver sua vida” e depois querem recompensa e reconhecimento… Para as “mulheres” que acharam lindo o seu relato, só tenho a dizer que provavelmente não são e nunca serão mães de verdade..

    • Leili, vamos partir de um princípio. Há três relacionamentos em questão. O meu com a minha ex mulher, o da minha ex mulher com meu filho e o meu com meu filho. Não importa o que eu tenha feito para a minha ex. Sim, errei muito com ela, da mesma forma que ela errou muito comigo. Nossa história simplesmente acabou, tivemos um relacionamento com momentos maravilhosos mas acabou. Com mágoas? Sim, de ambas as partes pois estou para ver um relacionamento que acaba sem mágoas. Aliás os relacionamentos sempre acabam devido a problemas do casal, pois se não há problemas não tem porque acabar, certo?

      Então está claro que nosso casamento acabou, que minha ex ficou muito magoada com o que eu fiz (da mesma forma que eu fiquei magoada com o que ela fez), mas você acha realmente justo que, devido a mágoa que ela sente de mim, ela tenha algum direito de me afastar do meu filho? Caramba, esse é um problema meu e dela, se ela não consegue resolver isso, você realmente acha normal ela usar meu filho para me atingir?

      Agora me diga, de onde você tirou essa história de que minha ex colocou meu filho no mundo sem meu apoio? Antes de nos separar ela cansava de dizer que eu era o melhor pai do mundo, que não poderia ter escolhido outra pessoa melhor para ser pai do filho dela, dizia que se pudesse casar mil vezes comigo. Sua opinião mudou completamente só porque eu quis me separar dela? Ué? Cadê a coerência?

      Mãe de verdade vai sempre pensar no seu filho, mãe de verdade jamais vai tentar afastar o pai do filho, principalmente se ambos querem se aproximar. Escrevi esse texto em novembro de 2011 e muitas coisas acontecerem até então. Ainda estou sem ver meu filho e prestes a resolver esse imbróglio, infelizmente, na justiça, pois a mãe do meu filho não fez um esforço para evitar isso, infelizmente.

      Mãe de verdade não usa uma criança inocente para punir alguém que a magoou. Eu fui muito magoado pela minha ex (e garanto a você que não foi pouco) mas JAMAIS irei fazer qualquer esforço para afastar meu filho da sua mãe, pois meus problemas com ela eu sempre tentarei resolver com ela.

      Uma coisa que aprendi com tudo isso é que o amor por si só, infelizmente não basta. Muitos relacionamentos perduram com base no amor mas também com a infelicidade do casal. Pedi o fim do nosso casamento não para a busca da minha felicidade, mas para a felicidade dela também, pois havia amor mas principalmente por parte dela, havia muita infelicidade e uma incapacidade de faz~e-la feliz, pois para isso eu deveria mudar minha essência, eu deveria praticamente nascer novamente. Como era impossível disso acontecer e como eu jamais conseguirei viver ao lado de uma pessoa infeliz, optei pela separação. Me arrependi, tentei voltar, mas ainda bem que não voltamos. Sempre digo que me arrependi de ter me separado, mas não me arrependo de ter me separado pois definitivamente foi o melhor para todos, principalmente para meu filho.

      Infelizmente não conseguimos chegar num acordo para que nosso filho sofresse o mínimo possível, mas garanto que isso não é culpa minha. Aliás é sim, pois tudo começou a acontecer a partir do momento que eu passei a exigir fazer mais parte da vida do meu filho e ela se negou a isso. A partir de então todos os problemas começaram.

      Não te conheço, não sei se você é mãe, mas sinceramente eu sinto pena do seu marido ou dos seus filhos, pois percebi que você seria capaz de usar seus filhos para prejudicar seu marido caso ele te magoasse, portanto torço para que vocês consigam levar uma vida a dois sem maiores problemas. Garanto que as mulheres que se solidarizaram com meu caso o fizeram pois, diferente de você, por mais canalha que seus parceiros sejam, jamais tentariam prejudicar a relação pai e filho devido a problemas pessoais.

      Eu estou sofrendo (para a felicidade dela) só que infelizmente, meu filho está sofrendo também e até hoje não a vi fazer um movimento sequer para diminuir a dor do meu filho, muito pelo contrário, todas suas atitudes foram no caminho de nos afastar ainda mais, como se isso fosse uma obsessão. Acontece que daqui a alguns anos, meu filho conseguirá compreender tudo que aconteceu e tenho certeza que ele não concordará com o fato da mãe dele tê-lo usado para me causar dor e é apenas nessa justiça que eu realmente acredito, pois conheço muito bem meu filho.

  4. Todas as sua palavras, um por um, é exatamente o que eu sinto sem mudar nada. Sou, homem e tem orgulho de falar que eu chorei o tempo todo lendo o que você escreveu. Mesmo tendo longe do meu filho de 3 anos, o que me dar força é sempre ouvir dele, “Pai-pai, eu quero ser igual você!”, e eu sempre falo para ele. “Daddy loves you very much!”

    Um dia meu filho vai me acompanhar a ser um Bicicretiero da vida! AVANTE!!

    Igual meu pai falou para mim, “Tem ex-mulher e ex-marido, mas nunca um ex-filho.”

    Parabéns! E lembre que você não está sozinho nesta luta!

  5. Parabéns… com certeza no momento certo você será recompensado por essa fase triste de ficar longe de seu filho!!! Que Deus possa fortalecê-lo para continuar nessa batalha.

  6. Como sempre, belas palavras André!
    Eu gosto de ouvir noticias sobre bicicletadas e ciclofaixas novas na cidade, mas quando vc decide escrever sobre as coisas que vc pensa… aí o texto fica excelente!
    Seu filho tem um pai maravilhoso ao lado dele.

  7. Gostei da carta para seu filho, espero que um dia ele possa compreender suas palavras. Pareceu-me um pouco tb um desabafo, muito valido por sinal. Bjs

  8. André, temos esta vivência em comum… Identifiquei-me com o seu franco relato.

    Por respeito aos meus filhos, à sua mãe e a mim mesmo, separei-me conscientemente…
    Esta dor é sentida todos os dias… Meu verdadeiro drama na vida real… Mas tenho a esperança de quando Ísis e Victor tiverem mais clareza dos fatos, da Vida e dessa distorcida estrutura voltada ao acúmulo de riquezas materiais a relação com eles voltará de maneira tal que possamos acampar (atualmente desestimulada pela mãe, mas Resort de Luxo pode…), pedalarmos por aí e melhor ainda, participarmos de um Encontro de Cicloturismo…

    Pequeno desabafo de um pai momentaneamente ausente…

  9. Parabéns André.
    Sei o que não é ter pai, e espero que seu filho realmente não se influencie diante disso.
    Você demonstra ser um pai de verdade.

  10. Que lindo André… Se todo pai pensasse assim não teríamos tantos adultos frustados e violentos como existe hoje em dia… Parabéns pelo texto, espero que um dia seu filho possa lê-lo e perceber o maravilhoso pai que você é.

Deixe uma resposta