A chegada a Curitiba e começo do trabalho – Brasil em Ciclos 

Editar

Jardim Botânico

Já cheguei em Curitiba tem um tempo, no sábado dia 01 de outubro de 2016. Era meu quarto dia de pedal seguido e já estava bastante desgastado.

Nas minhas primeiras cicloviagens longas, quando ainda era moleque, sempre pedalada 6 dias e parava um para descanso. Quando comecei o Projeto Biomas em 2010, já com 36 anos, comecei assim também, depois passei a pedalar 5 e descansar 2, foi para 4 e 3, até que o padrão foi pro espaço pois isso dependia da região, do destino é das minhas condições físicas, pois não dá para padronizar o imponderável.

O trajeto de Tunas do Paraná até Curitiba é de 80 km e a altimetria parece um ecocardiograma, nada de retas, do um sobe e desce constante, em uma altitude média acima de 1000 metros e muita Mata Atlântica, com as tradicionais araucárias do Paraná.

O lado bom é que Curitiba fica a 800 metros, ou seja, eu iria mais descer do que subir. O pedal foi tranquilo, mas quando estava a 30 quilômetros da cidade ainda pedalada em zona rural. Pra quem está acostumado em fazer essa distância da casa na zona leste até a zona sul de São Paulo, com certeza era algo diferente. Apesar de Curitiba ser uma grande e importante capital, são nessas horas que entendemos porque chamam São Paulo de megalópole.

Quando cheguei na cidade e comecei a pedalar nas avenidas, não demorou para eu tomar a primeira fina, ou seja, recebi as “boas vindas” dos motoristas curitibanos com a mensagem clara – “SAI DA MINHA RUA” – como não estava a fim de encrenca “ainda”, logo obedeci.

Uma coisa boa é que onde não tem calçada feita pelos proprietários dos imóveis, tem uma calçada asfaltada. A maioria das ciclovias da cidade, maior parte delas são nas calçadas e não passam de uma estreita pista asfalto. A maior parte delas é da década de 90, construídas na famosa gestão do Jaime Lerner. Algumas até parecem estar sem conservação desde sua inauguração.

Então mesmo não sendo oficialmente uma ciclovia e como a maioria das calçadas da cidade são bem largas, muitos ciclistas pedalam na calçada e fiz o mesmo. Curitiba é uma cidade muito interessante e antes de partir quero fazer um post só pra falar da cidade.

Cheguei no centro e fui direto para um Hostel, fiquei uma semana lá e agora vim para o Social Hostel e se a proprietária não me tocar, aqui deve ser minha moradia por alguns dias, quando devo continuar a viagem.

Desculpem pela demora na postagem, é que as coisas aqui estão corridas, mas logo farei outro post falando sobre o DBM Curitiba e sobre o trabalho que estamos fazendo na UFPR.

E fica o convite pra quem é daqui ou passar pela cidade enquanto estiver aqui. Apareçam no Hostel pra conversarmos, ou para me levarem pra pedalar, vou adorar a companhia. Portanto se estiver por aqui dê uma passada pra bater um papo, enquanto isso curtam o vídeo da minha chegada aqui.

André Pasqualini

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: