O desafio do primeiro dia

Antes de começar, quero agradecer a todos que mandaram mensagens de apoio a mim e ao projeto. Não consigo responder todos, mas ler sim e me faz um bem danado…

Tinha milhares de motivos para abortar a minha saída ontem mas bati o pé. Tinha que fazer um bagageiro dianteiro para a bicicleta, comprar uma máquina fotográfica, fazer a internet do meu celular funcionar… Queria estar em casa as 18h00 para sair a meia noite. Cheguei a meia noite para sair as 6 da manhã.

Sai as 6h00 do Tucuruvi e quando olho para trás noto que esqueci a bomba de pneu. Voltei para a casa e peguei a bomba, só ai pedalei 10 kms a mais. Segui pela Bandeirantes que no domingão estava lotada de ciclistas, encontrei o Edson, que está retornando a um mês pro pedal e que me fez cia até próximo o retorno de Jundiaí.

Odeio falar de pneu furado, o acostamento da Bandeirantes é cheio de detritos, numa descida a 50 km/h, falando justamente de pneu, vi algo grande, um pedaço de metal mas como estava andando do lado do Edson não tive tempo para desviar e lá se foi o primeiro pneu furado com um corte.

Tentei fazer um remendo no pneu mas não deu, quando enchi ele fez uma bolha rapidinho e tive que colocar o pneu trator de 29. Bem que a Renata Falzoni falou para levar uma agulha e linha, mais pra frente vou comprar uma e mostrar como se recupera um pneu.

Ainda está faltando muitas coisas da minha lista, não consegui ainda montar os suprimentos para poder me alimentar na viagem e pretendo fazer nesses dias. Iria cortar São Paulo o mais rápido possivel mas mudei de idéia novamente. Agora vou percorrer uns trechos do Rio Tietê para mostrar a vocês o quanto seria bom termos um rio limpo e acessível aos paulistanos como ele é a 200 km da capital.

O trecho de ontem foi só pedal, nem tirei muita foto pois o trajeto dessa parte não é tão agradável. Só rodovia, cana e nada de novidades. São Paulo ficará mais bonita justamente quando o Tietê fica limpo e vou me concentrar lá.

Peço que tenham paciência comigo pois esses dias são de transição, até criar essa rotina que quero levar, montar e desmontar acampamento, acordar cedo, pedalar e fazer tudo denovo demora um pouco. Ainda tenho que comprar umas peças para a bike, equipamento de pesca e principalmente os suprimentos com o que há na região. A não ser que eu fosse um carro a álcool, tá complicado achar algo pra comer sem gastar dinheiro, por enquanto só contando mesmo com a solidariedade da galera, mas é algo que, ainda bem, está sobrando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.