Palmas com 4 mil kms de história

image

4 mil quilômetros, 2 meses e 4 dias, uma vida de histórias, experiências. Chegar em Palmas significava muito para mim. Daqui a distância para São Paulo começará a diminuir, significa daqui a alguns dias finalizo a viagem e novos desafios virão. Depois de tantos desafios vencidos, fico ainda mais otimista com meu futuro que será de muitas alegrias.

Saí de Divinópolis as 9h00 da manhã com o GPS marcando 120 kms para Palmas. Diferente dos dias pedalados em Mato Grosso, Pará e até Divinópolis do Tocantins, acabaram-se as longas planícies e começo a sentir o relevo dando as caras.

image

Na estrada fui ultrapassado por uma caminhonete com várias bikes. Mais a frente encontrei o pessoal comendo pamonha na estrada. A turma Papaléguas de Paraiso do Tocantins, eles haviam pedalado até Divinópolis e foram resgatados. Comi uma pamonha deliciosa com eles (olha que nunca fui fã de pamonha), recusei a carona e voltei para a estrada.

image

A chuva ainda me pegou antes de chegar em Paraíso, saí de Divinópolis com 200 metros de altitude e cheguei em Paraíso com 400. Depois de almoçar um açaí em Paraíso, segui para Palmas, mais 60 kms com uma forte serra entre nós. Na foto, lá em baixo a cidade de Paraíso.

image

5 quilômetros de subida cheguei a 550 metros e depois disso desci suave os 150 metros que ganhei em 10 quilômetros. Na estrada tive meu reencontro com os Tamanduas do Cerrado, mas posso dizer que não foi como eu gostaria.

image

Segui pedalando e quando restavam 20 kms para Palmas, segundo o gps, tive essa linda visão quando cheguei ao alto de uma subida.

image

Palmas foi construída ao lado de um lago artificial formado pelo Rio Tocantins, sua travessia é de 8 kms, boa parte em aterro, com uma ponte com mais de 1 km e duas vazantes. Tem até ciclovia!

image

Na ponte encontrei o Artur e o Lucas, meus anfitriões durante minha passagem pela cidade. A curiosidade é que eles não pedalam. O Artur viu minha matéria no site da Época e desde então manteve contato comigo. Mas muito em breve os dois, com certeza sairão da Matrix e conhecerão o maravilhoso mundo do pedal.

image

Fomos até a praia do lago tomar um açaí e lá encontramos o Dunga e o Didi, ciclistas de Palmas que conhecem como ninguém a região e o Jalapão.

image

Hoje levo minha bike para uma geral e vou dar uma volta para conhecer a cidade. Amanhã saio para pedalar com o Dunga e o Didi pelas montanhas atrás da cidade. Minha passagem por Palmas promete, me acompanhem pelo twitter que vou mandar muitas fotos bacanas para vocês, como aquecimento para o belíssimo Jalapão.

7 thoughts on “Palmas com 4 mil kms de história

  1. Dorneles

    Andando pelas estradas do TO é muito difícil não se deparar com um tamanduá morto pela estrada. É sempre uma constante por aqui.

  2. André Lemos

    Aê Xará. Parabéns. Tô acompanhando sua Trip, diariamente pelo Twitter e pelo Blog, desde o dia que vc “chutou” os problemas e saiu de SP.
    Não nos conhecemos pessoalmente, mas quando vc voltar a Sampa, vou procurá-lo para te parabenizar pessoalmente. Garanto que vc está realizando o sonho e a vontade de muita gente. Inclusive a minha: Cruzar o brasilzãO PEDALANDO.
    Ah propósito. Se for rolar essa breja, pra contar “causos”, publica no twitter que #agentevai !
    Abraços e Deus te acompanhe no retorno pra casa.

  3. Felipe M.P.R.

    To ansioso pela sua volta que espero seja acompanhada por um livro contando tudo. Desde o desempenho da bicicleta até quantos quilos você deve ter emagrecido. haha
    Abraço e boa viagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.