E a familia? Vai bem… Será?

Nesse post vou falar sobre o conceito de família. NÃO, NÃO, NÃO! Não vou pedir para você pegar um terço ou abrir a bíblia em versículo tal, nada disso. Primeiro porque não sou religioso e segundo, não acho que as pessoas precisam de uma religião para fazer o que é certo.

Devo ter vivido uns 500 anos nesses 3 meses, se eu somar a idade de todas as pessoas com que troquei experiências. Tive diversos exemplos de vida que carregarei pelo resto da vida.

Claro que a gente nasce em uma família, que ela é extremamente importante, embora raramente damos o valor que ela merece, mas quero falar sobre o começo de verdade, quando nós montamos a nossa família.

Para não citar todas as experiências que vivi nessa viagem, quero falar apenas da história do casal, Angela e Domingos. Eles me deram pouso no vilarejo Panambi, na divisa da Bahia com o Tocantins.

Não sei quando eles foram para lá, mas isso ocorreu faz tempo, ambos trabalhavam numa fazenda onde ela era cozinheira e ele operador de trator. No começo ela fazia comida para duas pessoas, mas a fazenda cresceu e logo ela cozinhava para 200.

O tempo passou, eles compraram uma casinha na vila, tiveram filhos que ficavam longe da mãe. Dia sim dia não eles voltavam para a casa pois trabalhavam longe. Seu marido, percebendo o sofrimento da mulher, fez ela sair do emprego, trabalhou muito e montou um restaurante para ela, isso tudo resumindo.

A Angela cozinha maravilhosamente bem e hoje, mesmo nem ganhando tanto dinheiro assim, é muito feliz e está sempre alegre. Faz algo que gosta, ama e é amada pelo seu marido, algo que ficou muito claro nesse pouco tempo que fiquei com eles. Tudo isso tem como resultado uma família feliz e um sentimento de orgulho, dedicação e doação que é repassado aos filhos.

A base disso? Muito amor, cumplicidade e um orgulho enorme de um pelo outro, onde ambos batalham pelo sucesso do outro, nada de religião, obrigação, apenas amor.

 

 

Essa viagem tem como principal objetivo tentar buscar minha melhora interior, tentar me compreender melhor e nortear o meu futuro, além de falar da viagem em si. Mas falando do trecho, não teve nada muito interessante mas vou resumir.

Muita costela de vaca, costela de vaca, costela de vaca…

image

Areia, areia, areia…

image

Lama, lama, lama…

image

Pedra, pedra, pedra…

image

Chuva, chuva, chuva teve mas consegui escapar de todas.

image

E teve também essa figura fantástica da dona Angela que acabou inspirando esse post, que me emocionou com sua história e que a fiz chorar com a minha dor, me desculpe principalmente por essa parte dona Angela.

image

Agora começo a contagem regressiva, sempre rumo ao sul. Hora de concentrar no pedal e socar a bota.

11 thoughts on “E a familia? Vai bem… Será?

  1. Renata PASQUALINI

    Eu sempre me emociono com o que você escreve, mas dessa vez, não pude conter, as lágrimas cairam. Eu fiquei triste e feliz por você, triste por ver o quanto você está sofrendo, embora eu saiba que mesmo sendo difícil e duro, isso lhe foi necessário, e feliz, por ver que você encontrou o que procurava, eu sempre digo, e agora repito à você, agora você sabe que caminho trilhar para alcançar o que almeja. Você sabe o que quer, isso não ha o que discutir, mas agora, você tem o dircernimento claro do que você não quer, acredito que isso é até mais importante, pois baseado do que você não quer para a sua vida, você molda os seus desejos e objetivos. Você diz que não é religioso, mas eu sou, e sempre que te envio uma mensagem, estou apenas servindo de instrumento para transmitir recados de alguém que te ama muito. Agora de minha parte, quero que saiba que farei de tudo para te ajudar, acredito que você merece uma segunda chance, pude daqui sentir o que está sentindo e… É, não da para descrever, mas sim, muita dor. Vou rezar por você, para que o que for melhor para você te aconteça, e te mandarei forças, muitas forças. Aguenta aí, se continuar assim, você alcançará a felicidade novamente. Beijos. Rê.

  2. Pedro Miani

    André,
    Eu o conheci quando li (incrivelmente) sua ultima coluna no jornal Destak, na qual vc estava se despedindo e informando que começaria sua viagem em breve.
    Não o conheço pessoalmente, mas o pouco tempo que acompanho seus posts, consigo afirmar com certeza de que vc é uma pessoa incrivel.
    Não sou ciclista mas meu sonho é conhecer o Brasil. Sempre sonhei em fazer isso de carro, mas acompanhar seus posts está, aos poucos, me fazendo talvez mudar de ideia. Errar é humano, mas os verdadeiros Homens são aqueles que conseguem admitir os proprios erros e aprender com eles.
    Força e que Deus o acompanhe!

    P.S: vou levar essa frase comigo: “não acho que as pessoas precisam de uma religião para fazer o que é certo.”
    Disse bem!

  3. Duend Urbano

    É sempre bom sentir as emoções de seu compartilhamento humano, e tenha certeza que todas as sementes germinarão de suas palavras e ações… Ver essa raiz forte que sustenta seu tronco e frutos com garra de ciclista ! Com você no planeta, orgulho-me de ser ciclista…

  4. Tiago Veras

    André,

    Não te conheço, mas sempre te acompanho.
    O que escreveste no blog é a mais pura verdade, às vezes difícil de se identificar quando estamos no meio deste turbilhão: a relação a dois. Sou casado há 5 anos, amo minha esposa e filho e tento ser uma pessoa melhor, mesmo longe disso.
    Nesta tua viagem interior saiba que estás compartilhado histórias, conselhos e experiências para pessoas que passaram e ate admirar!

    Força!

  5. Marlene

    André,
    Quanto mais leio seus posts mais te admiro.
    E me veio aquela frase do Chico Xavier: “embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim”.
    Você é lindo por tudo o que tem mostrado.
    Abraços.

  6. Juliane Vitor

    E sabe o que vale a pena? Ver que de um texto de jornal que me emocionou, no qual voce justamente falava do seu filho, fez eu te admirar e chegar até aqui para ver no final de um texto emocionante uma foto sua sorrindo – “com um sorriso vou apagando a tristeza que me invade a alma” – Não te conheço mas sei com toda certeza que nada nesta vida é a toa André. Força neste ultimos kms. Fica com Deus! Bjs.

  7. Felipe Aragonez

    Pasqua,

    Tenho certeza que você irá recuperar sua força de um guerreiro. Saiba que você me ajudou e muito a conquistar muitos sonhos que tive. Obrigado!

    O Marcos tem muito orgulho de você e sua família também.

    Conheço a Lu e você, não posso opinar sobre o relacionamento de vocês, mas você tem razão, ela sempre te amou muito.

    Continue concentrado na viagem, agora falta pouco, mas ainda não terminou.

    Seus amigos estão te esperando aqui.

    Um abraço e fique com Deus.

  8. Camila Oliveira

    Triste, mas lindo tudo que escreveu. Acho que sua viagem vai cumprindo seu papel, como disse Amyr Klink: “Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto.”

    Talvez não haja mais tempo ou o momento de reaver essa história juntos tenha passado, mas independente disso, é importante você sentir e pensar no que se foi e moldar sua “nova vida” baseado nessas experiências. Sem pressa, sem medos, a vida vai fluir e voltar “ao normal” aos poucos, outras pessoas cruzaram o seu caminho e você saberá valorizar a presença delas, seja rápida, momentânea ou duradoura.

    Motivação? Oras, André, motivação a gente encontra ao fazer o que mais ama. Dedique-se a isso, faça seu sustento através do que ama fazer, não há nada de errado nisso.

    Enfim, quem sou eu para palpitar, para sugerir né.. mas gostaria de dizer que estamos por aqui, torcendo por você e acreditando que você encontrará as respostas para sua busca, aliás, já encontrou.

    Super abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.