Nossa justiça fazendo o crime compensar…

Um belo dia estava eu e um grupo de amigos percorrendo a Rota Márcia Prado, quando chegamos naquele mirante da Estrada de Manutenção (já no trecho de Parque da Serra do Mar, enquanto paramos para tirar algumas fotos, percebi a aproximação de uma SUV prata. O cara estacionou, se afastou do carro e começou a tirar umas fotos nossas. Achei tudo meio estranho, como o motorista percebeu minha estranheza, se aproximou dizendo o seguinte:

– Essa estrada aqui sai aonde?

Respondi: – Sai na Imigrantes, mas essa é uma estrada do Parque da Serra do Mar, é proibido o tráfego de veículos aqui sem autorização, nós só estamos aqui porque temos autorização do parque. Inclusive se os seguranças quiserem, podem apreender seu carro e até mesmo te prender pro crime ambiental.

Então ele disse que entrou na estrada por curiosidade porque viu um acesso, mas que iria sair assim que pudesse. Seguimos em frente, mais adiante ele nos ultrapassou e foi embora.

Isso aconteceu em junho de 2012, uns seis meses após sou marcado nessa foto abaixo:

4lexus -andre

 

Pelos comentários ao lado dá para perceber que isso causou uma estranheza em todo mundo que está na minha Timeline. Como assim? O Pasqua fazendo propaganda de carro? Mercenário! E por aí ai.

Confesso que quando vi isso dei muita risada de tão bizarro, mas não iria deixar barato. Essa era uma página da Lexus Morumbi, uma concessionária desses SUVs estúpidos. Acessando a página da concessionária, havia um link do Facebook justamente para essa página e ali haviam várias fotos, não apenas desse dia mas outros álbuns com o claro propósito de promover esse carro da Lexus. Mais tarde acabamos descobrindo que a dona da marca Lexus é a Toyota e que esse carro em questão custa algo em torno de 350 mil reais.

Entrei com a ação no início de 2013 e pouco antes disso tiraram a página do ar, mas o processo já estava pronto. Mostrei a juíza que cuidou do meu caso o quanto essa propaganda me prejudicou, se tem uma pessoa que jamais faria uma propaganda de carro essa pessoa sou eu, imaginem de uma SUV! Se aquele cara do carro tivesse pedido minha autorização eu jamais cederia POR NENHUM DINHEIRO DO MUNDO, pois se eu fizesse isso seria como jogar todos meus valores morais, tudo que sempre acreditei no lixo.

Entrei com uma ação pedindo uma indenização de 100 mil reais. Pode até parecer muito, mas vamos lá, quanto vale sua imagem? Qual o preço por ser enganado e ser difamado como eu fui? Outra coisa, como punir uma empresa que compactuou com esse absurdo? Cem mil reais para um carro de trezentos, vamos combinar, isso é dinheiro de pinga. Se estivéssemos em outro país eu poderia até resolver minha vida com essa indenização, mas me daria por satisfeito só em vencê-los na justiça e causar o mínimo de transtorno, já que não tem como eles repararem o mal que fizeram comigo.

Até que em novembro de 2014 saiu a sentença que obviamente me deu ganho de causa e condenou a Toyota e me pagar uma indenização. Seria tudo lindo se não fosse um detalhe, a juíza reduziu o valor da indenização para míseros R$8.000,00 com a alegação de que isso poderia significar enriquecimento ilícito.

Agora façam as contas comigo, imaginem se a Toyota resolvesse fazer uma ação de marketing, que chamasse uma agência de publicidade, contratasse fotógrafo, pessoas (que estivessem concordando com a propaganda) para fazerem parte de uma paisagem onde o ator principal era essa enorme, estúpida e poluidora SUV, quanto vocês acham que a Toyota teria gasto? Com certeza bem mais de R$8.000,00!

Portanto depois de tudo que aconteceu, a única conclusão que eu cheguei é que, principalmente no meu caso, o crime compensou PRA CACETE!

Olha que eu nem tocaria nesse dinheiro pois considero algo sujo, o máximo que faria é pagar algumas pessoas que devo e o restante iria doar para a Ong que criamos, o Instituto Cicloativo e tentar “lavar” esse dinheiro sujo investindo em ações que ajudassem os ciclistas. Com cem mil reais a gente poderia construir DOIS Contêineres Oficina e atender duas comunidades carentes, só para ter uma ideia.

Quando publiquei esse post estava viajando, mas em breve publicarei um post mais detalhado e com mais fotos. Enquanto isso vocês podem clicar aqui para acessarem a sentença.

Agora só me resta recorrer e ver se consigo corrigir essa injustiça, mas uma coisa é fato, se a Toyota depositar o dinheiro que pedi da indenização na conta da Ong, eu nem recorro mais. Como duvido que eles tenham essa nobreza, continuarei tentando a justiça na tentativa de que esse caso sirva de exemplo. Se isso não acontecer, esqueçam seus valores, sua dignidade, pois nada disso terá significado sabendo que qualquer pessoa com muito mais poder financeiro do que você pode usar sua força para prejudicar e atropelar todos que entrarem na frente deles, como infelizmente aconteceu comigo.

André Pasqualini

21 thoughts on “Nossa justiça fazendo o crime compensar…

  1. Erika Azevedo

    Boa sorte, apoio sua atitude e a forma como escolheu agir, me parece compatível com sua visão de mundo e quando deixa de ser assim, aí ferrou, aí que descambamos. Uma pena, apenas, que os compradores desta SUV não se sentirão mto afetados pela má reputação que o caso agrega à marca, mas tá valendo mesmo assim.

    1. XpK

      Aqui estamos falando em ressarcimento por direitos de imagem.
      A postura do Pasqua quanto à mobilidade ativa é apenas uma pitada na questão.

      1. André Pasqualini Post author

        Estou escrevendo outro post que irá responder vários que comentaram aqui, mas fiz questão de responder esse pois é você brother. Minha postura enquanto a mobilidade ativa é muito mais do que uma pitada e isso ficará muito claro no próximo post.

        😉

  2. Marcelo Sanches

    Cara, desculpe, mas vc vacilou. O caminho não era esse, do processo civil ou criminal. Vc mesmo disse no seu texto, “quanto vale sua imagem”. Vc devia ter aberto um processo trabalhista, dizendo que não houve contrato, e o valor a ser pago para sua imagem, devidamente autorizado, vale 100K. Simples assim. Processo trabalhista não tem erro, ganho de causa certo. Os caras não cumpriram o contrato, então paga. Aí vc, dentro da sua total moralidade, vai dizer: ah, mas assim não quero. Meu querido, existem vezes que não podemos agir de forma diferente, e precisamos jogar o jogo. Não seja ingenuo, ou vão te engolir vivo, e vc nunca vai mudar o mundo. A vida não é justa, às vezes, e estar preparado pra tudo, é fator de sobrevivência. Cuidado, eu disse sobrevivência, e não esperteza.

    1. Iporã

      Caro, me desculpe, mas esta sua sugestão seria jogar toda a imagem, história e carreira da vítima no lixo, seria na realidade suicídio! A questão jurídica não é de direito trabalhista, mas especialmente de difamação, como poderia a vítima reparar este mesmo dano jogando sua vida inteira pelo ralo. Novamente, me desculpe, mas este é um jogo que não se joga não.

  3. Odilon

    Não compensou.Sua estória saiu em tudo o que é jornal e queimou o filme da montadora.
    Se fosse você pegaria essa grana e me daria por satisfeito. Se recorrer o processo pode ficar engavetado por anos a fio.

    http://g1.globo.com/economia/midia-e-marketing/noticia/2014/11/ciclista-processa-toyota-apos-aparecer-em-foto-de-anuncio-de-suv.html

    http://www.portalimprensa.com.br/cdm/caderno+de+midia/69498/ciclista+processa+montadora+por+aparecer+em+anuncio+de+carro+sem+autorizacao

    http://www.midianews.com.br/conteudo.php?sid=3&cid=217243

  4. Pedro

    Uma vergonha! Se fosse um destes famosos, um político ou um juiz, a multa seria milionária. Fato!
    Não desista. Vá até o fim. O importante agora é divulgar a situação o máximo possível, porque uma das poucas coisas que políticos e juizes ainda temem, é uma grande repercussão de algo negativo para “suas imagens ilibadas”.
    Boa sorte!

  5. Léo

    Não desista. Recorra e dê publicidade para esta questão.
    Sou fotógrafo e sei como essa questão da ética é frequentemente “esquecida” até por grandes empresas, como foi o caso. No caso do sr. que citou que não foi a própria montadora, está enganado. Ela responde solidariamente pois é um revendedor de seu produto que está sendo anunciado.

    A questão do uso do dinheiro recebido acredito que não deva ser nem discutida por terceiros, afinal, é apenas o prejudicado que pode destiná-lo para onde e como quiser.

    São essas questões que ajudam a moldar e dar parâmetros cívicos em nosso país. Precisamos acabar com essa maldita lei de Gérson, punindo quem quer que seja, de forma contundente. Esse valor indenizatório vai mudar, quando a sentença for reformada.

    Boa sorte!

  6. André Azambuja

    Acho que o cara está trocando alhos por bugalhos. Ele fala que 8mil é pouco para a toyota, mas não percebe que não foi a toyota que cometeu o crime de usar imagem alheia sem autorização. Não foi a toyota nem a lexus, foi uma loja. E para uma loja essa indenização já é bem boa…. Claro que poderia ser uns 20 mil até, quem sabe, cabe a ela recorrer. O fato é que a vítima está julgando ocaso com a emoção e não com a razão. Usa todo o ódio que tem contra carros, em especial SUV, como é claramente percebido, para entender o julgamento do juiz como sendo injusto.

  7. Smith

    Injustiça? o cara é pego na foto por acaso, mal consegue-se identificar o sujeito, e pede indenização absurda dessas? Se for assim o parque deveria receber R$1.000.000,00 pois com certeza foi mais prejudicado que você. Na minha opinião puro oportunismo. Dizer que faria isso ou aquilo com o dinheiro “dos outros” é fácil.

  8. raphael de oliveira pereira

    Sabe o que seria ótimo também? Você descobrir e divulgar aqui o nome da agência de publicidade que emprega um fotógrafo tão incompetente e sem ética.

  9. Pingback: Ciclista processa Toyota por foto em anúncio | Paulo R Tamer

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.