Vamos voltar a pedalar pela Estrada Velha de Santos

FOTO03

Eu sou o frango da esquerda!

 

O final da 6º edição do Desafio Bicicletas ao Mar (DBM) culminará na descida da Estrada Velha de Santos, também conhecida por Caminho do Mar. A partir dessa edição não serei mais o único organizador do DBM, ainda participarei da organização, mas quem tomará as rédeas do DBM é o Instituto Cicloativo do Brasil, ong que foi criada pelos próprios participantes do Desafio.

Essa transição seguiu as leis da física. Posso até ter tido o lampejo inicial, mas bastou chegarmos pela primeira vez a praia que os participantes “arrancaram” o DBM das minhas mãos e tomaram posse por “usucapião” de algo que era deles por direito. Estou muito feliz com destino do Desafio, pois a partir de agora as possibilidades ficaram ilimitadas e a tendência do DBM será ficar cada vez maior e mais abrangente. Tanto é que graças essa mudança de mãos, conseguimos retomar a Estrada Velha de Santos que voltará a ser utilizada pelos ciclistas.

Se não quer perder tempo, clique aqui e vá direto para a página de inscrição no site do Cicloativo e se ainda não sabe direito o que vem a ser o DBM, veja todas as subpáginas do Desafio Bicicletas ao Mar no site da Ong.

Falando sobre a Estrada Velha de Santos, ela é primeira estrada construída com pavimentação de concreto da América Latina, fato que marcou o início da triste era do automóvel, mas que agora está recebendo uma correção de rumo. Essa estrada cruza em alguns momentos a Calçada do Lorena, a primeira estrada pavimentada (com pedras) do Estado de São Paulo, construída em 1792 antes mesmo da família real vir ao Brasil.

Minha experiência com a Estrada Velha é antiga, a primeira vez que me aventurei por ela foi em 94, naquela época já era proibido o acesso de qualquer pessoa e para descer tínhamos que chegar de madrugada, esperar o guarda dormir, pular a cancela na surdina, despencar morro abaixo e se aventurar por desbarrancamentos comuns na rodovia na época. Foram ao menos umas 5 descidas por essa estrada, todas as vezes de madrugada, uma experiência mais alucinante que a outra.

FOTO05

A partir de 2004 construíram um portal bem antes do começo da descida (antes a portaria era no início da descida, na Casa de Pedra) e ficou impossível descer de forma clandestina, para a tristeza de aventureiros como eu.

Desde então a estrada foi aberta para visitação a pé e os ciclistas tinham poucas chances de descer. Mas agora, graças a criação do Instituto Cicloativo do Brasil, conseguimos firmar uma parceria com o Caminho do Mar e em 14 de junho de 2015 faremos o primeiro evento teste para descida do DBM. Se tudo correr bem, é bem provável que o Cicloativo e o Caminhos do Mar construam uma parceria que irá viabilizar o uso dessa estrada para os ciclistas chegarem a baixada santista.

BannerPost

Faça parte dessa história, clique na imagem acima e faça sua inscrição, dificilmente essa descida será um dia totalmente de graça, mas sua participação e colaboração nesse evento pode nos ajudar a elaborar uma fórmula que torne o acesso a essa preciosidade ainda mais democrática e acessível.

Vamos a lá praia pelas curvas da Estrada de Santos…

André Pasqualini

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.