/* */

Hoje fui a uma coletiva sobre o lançamento da Brompton no Brasil. Para quem não conhece, a Brompton é considerada a melhor Folding Bicycle (bicicletas dobráveis) do mundo.

Ao contrário da tendência mundial de produção em larga escala, fábricas na China, etc, a Brompton seguiu o caminho inverso, primando pelo perfeccionismo e pela qualidade. Com uma produção de apenas 30 mil bicicletas por ano, fabrica o mesmo modelo de quadro desde a primeira bicicleta. Tem como objetivo produzir bens para durar a vida inteira, como as “geladeiras” e antigamente.

Obviamente que isso faz com que a bicicleta seja bem mais cara do que as dobráveis convencionais que vemos por aí, até mesmo se ela for comprada em Londres. Soma-se a isso as taxas estúpidas que temos no Brasil, o resultado é num preço bem salgado. Enquanto ela custa, no mínimo 800 libras em Londres, no Brasil ela chegará custando, no mínimo, R$5.000,00 (cinco mil reais).

Mas tudo tem um porem… Uma Brompton é mais que uma bicicleta, a riqueza de detalhes é assombrosa, beiram a perfeição, sem falar na possibilidade de personalização, dificilmente você verá alguém com uma bicicleta parecida com a sua.

Mas com esse preço, no Brasil ela chegará para o público A (e coloca uns “A”s aí). O lado bom é que para os amantes de bicicleta como eu, ficou bem mais fácil de um dia ter uma dessas maravilhas.

Outro lado bom, para quem já gasta uns 5 mil por ano com seguro de carro, o investimento nessa maravilha, que vai durar para a vida toda, é insignificante.

Eu particularmente fico feliz em saber que uma grande marca de bicicletas está querendo investir no Brasil, pena que pela cacetada de impostos a gente não possa comprar essa bicicleta, não ao mesmo preço do Londrino, mas como um americano, mexicano por exemplo. Qualquer país do mundo você consegue comprar essa bicicleta sem ter que deixar o dobro do seu valor para o governo.

Por enquanto ela será mesmo para o público AAA, mas é uma excelente sinalização para que as fábricas nacionais passem a investir nessa linha de dobráveis, até mesmo para podermos atender quem não tem tanta grana assim. Vida longa a Brompton no Brasil e quem sabe um dia não tenhamos uma corrida como essa aqui?