/* */

O Bicicreteiro

Bem-vindo, aqui é o Pasqua, sou o editor site do Bicicreteiro e vou contar aqui um pouco da sua história. Minhas pedaladas virtuais começaram em 2001, estava começando a trabalhar como programador, na época era considerado “Web Design”, mas se tem algo que nunca fui foi um “Designer”.

No começo dessa profissão precisava montar um Portfólio, como adorava pedalar, resolvi criar um site para postar fotos e vídeos das Cicloviagens que realizava, assim nasceu o site do CicloBR. Não demorou para que meu trabalho de programação ficasse em segundo plano e eu passasse a me dedicar cada vez mais a bicicleta.

Em 2004, realizei minha segunda grande cicloviagem beirando o Rio Tietê, foi minha primeira experiência com diários de bordo durante uma ciclo-viagem. Dentro dos alforges carreguei um Think-pad ultra moderno que pesava uns 8 quilos, um cabinho para usar conexão discada e uma máquina digital de 2 megapixel. Apesar da luta contra aquele barulhinho terrível do fax-modem ultra moderno de 56,6 kbps (entreguei minha idade), consegui manter um diário de bordo durante os 15 dias de viagem.

 

Nesse mesmo ano passei a usar meu site para divulgar notícias sobre Cicloativismo, até porque quase ninguém se prestava a esse trabalho na época, não demorou para criarmos uma rede de ciclistas, até que em 2009 decidi transformar o CicloBR numa associação de ciclistas, assim nasceu o Instituto CicloBR de Fomento à Mobilidade Sustentável.

É bom deixar claro que me afastei do CicloBR por motivos pessoais em 2011 retornei como Vice-Presidente em 2015 mas fui obrigado a me afastar em definitivo da Ong em 2016.

Devido a transformação do CicloBR em uma Ong, precisei criar um novo canal para continuar escrevendo minhas opiniões, assim nasceu o Bicicreteiro e para saber o porquê desse nome clique aqui. Apesar do meu envolvimento no Cicloativismo e meu trabalho como Consultor de Mobilidade Urbana, minha grande paixão sempre foi o Cicloturismo, portanto além das minhas opiniões a respeito de mobilidade urbana, você encontrará aqui muitos relatos de cicloviagens, fotos, vídeos.

Ah, não posso esquecer de atualizar essa página com um grande fato que ocorreu em minha vida. Em 2013 conheci a senhora Pasqualini, a Terê para os íntimos. Posso dizer que ela é minha Capela Sistina, pois ensinei a pedalar e a introduzi nesse maravilhoso mundo das bikes. Hoje além dela levar meu nome (e eu o dela), formamos um único ser que divide todas as alegrias e conquistas. Além dela também ser dona desse site, também é dona do nosso Canal no Youtube, o Casal em Ciclos e principalmente dona da minha vida e do meu coração.

Sejam bem vindos, usem e abusem desse espaço, pois a principal motivação desse blog é inspirar e ajudar com que, cada vez mais pessoas sejam contaminadas com esse vírus da bike, que tantas alegrias já me deu.

 

André Tanque Pasqualini