/* */

Infelizmente já deu para mim, só não coloco a bike num ônibus e vou embora para manter o resto de dignidade que ainda tenho. Mas agora estou partindo, vou abortar a Chapada dos Veadeiros, os pontos turisticos que iria visitar e vou pedalar direto de volta para a casa.

Vou fazer os meus Audaxs. Para quem não é do mundo da bike, Audax é uma prova onde cada competidor tem que terminar o trajeto dentro de um tempo mínimo, de acordo com a distância. Mais informações acessem a página do Audax Brasil.

Os tempos são 13h30 para os 200 kms, 20h00 para os 300, 27h00 para os 400, 40h00 para os 600 e 75h00 para os 1000 kms.

Farei 3 trechos, o primeiro daqui até Brasília (600km) onde irei ficar até arrumar minha bike. O segundo trecho será de Brasília até Patos de Minas (400km) onde irei rever meus queridos padrinhos de casamento. Depois toco direto até São Paulo, onde farei cerca de 900 kms.

Pedalarei a noite, até comprei umas lanternas a pilha mesmo, pois as minhas sustentáveis não seguram a onda. Nesse trecho até Brasília vou tentar fazer sem parar para dormir. A partir de agora é rastreador ligado, celular desligado e foco na estrada para vencer as distâncias.

Não sei mais quando voltarei (e se voltarei) a escrever aqui. Quero pedir desculpas a aqueles que de alguma maneira se frustraram com a minha decisão, mas a saudades e a dor está demais.

Enquanto pedalo, choro, grito, sofro, mas a dor se mistura com o cansaço e o esforço, ajudando esquecer toda essa situação por um curto espaço de tempo.

Nem consigo mais ligar para o meu filho, pois sei que irei ficar aos prantos e deixa-lo mais triste. Se chegar inteiro a Sampa depois dessa maratona, vou direto até onde ele está e abraçá-lo muito.

Desculpe mais uma vez galera. Estou partindo para Brasília, se conseguir percorrer o trecho em 40 horas, devo chegar lá amanhã a noite. Vocês podem me acompanhar pelo link do rastreador. Abraços e até sei lá quando.