/* */

Uma das novidades dessa minha cicloviagem, sem dúvida é esse rastreador via GPS que estou carregando. Aliás gostaria muito de ouvir os comentários da galera que está me monitorando, pois eu mesmo dificilmente acesso o site (até porque sempre sei onde estou).

O rastreador foi cedido pela Maré GPS e funciona assim. Enquanto estou me preparando eu ligo o aparelho para ele pegar as informações dos satélites. Quem já está familiarizado com aparelhos GPS sabe que as vezes, pode demorar um pouco para ele detectar os satélites.

Então entro no site da Spot e lá eu cadastro uma mensagem do “Estou Aqui”. Essa mensagem pode ir tanto por email ou por torpedo (sms) para pessoas que eu pré cadastrei no site. Também posso cadastrar redes sociais para receberem essa mensagem. Então quando começo o pedal, aperto o botão “OK” uma vez e ele envia a mensagem que eu cadastrei no site para os emails, celulares cadastrados e para o twitter e facebook do bicicreteiro.

Quem já vem acompanhando, pode notar que sempre que começo e termino um trajeto, mando uma mensagem personalizada. Isso porque em todas as cidades que eu parei, sempre havia sinal de celular. Agora por exemplo que vou entrar no Pantanal, dificilmente haverá sinal, portanto eu devo manter uma mensagem padrão como “Iniciando ou terminando um dia de pedal pelo Projeto Biomas”. Nesse caso, quem ver a mensagem deverá supor, de acordo com o horário, se estou partindo ou chegando.

Outra função interessante do rastreador é o “Siga-me”. Essa mensagem do “Estou aqui” manda uma única coordenada e depois que a mensagem é enviada, eu pressiono o botão “OK” por alguns segundos, até a luz verde começar a piscar. Quando isso ocorre, a cada 10 minutos, o próprio aparelho manda a coordenada de onde estou para a página que está linkada aqui ao lado direito, com o nome “Me monitore via GPS”. Nessa página qualquer pessoa poderá ter noção do ponto exato que estou.

Ainda há dois botões importantes, o “Help” e o “911”. Se eu apertar o Help, algumas pessoas que eu cadastrei no site receberão mensagens a cada 10 minutos e saberão que eu tenho algum tipo de problema. Nesse caso, com as coordenadas, eles podem tentar me localizar e prestar socorro.

Agora se eu pressionar o “911”, uma central lá nos Estados Unidos receberá a mensagem, irá primeiro ligar para os telefones cadastrados para saber se eu realmente posso estar precisando de alguma coisa e depois de lá, procurar as autoridades mais próximas e coordenar um possível resgate.

Há também a possibilidade de pagar uma taxa anual e nesse caso, uma central aqui no Brasil prestaria todo o socorro em caso de emergência.

E o mais importante, tudo isso é sinal de satélite, ou seja, mesmo onde não há sinal de celular, se o aparelho estiver ligado, eu sempre poderei enviar os sinais com minhas coordenadas.

Apesar da segurança que esse simples aparelho me proporciona, espero fazer minha viagem inteira somente usando os botões “ON/OFF” e o “OK”, pois apenas eles já fazem uma diferença enorme na viagem.

Para mais informações sobre o aparelho, consultem o pessoal da Maré GPS.